segunda-feira, 19 de junho de 2017

PASTOR CLÁUDIO DUARTE MENTE PARA SEUS SEGUIDORES DIZENDO QUE CRITICOU DOGMAS MARIANOS DENTRO DE UMA IGREJA CATÓLICA

Jesus ensinou que "o diabo é pai da mentira." (João 8,44)

O gaiato pastor Cláudio Duarte gabava-se no vídeo abaixo, gravado numa igreja evangélica e que circula na internet, de ter questionado os dogmas marianos diante dos católicos dentro de uma igreja católica. Veja o vídeo:


Fomos investigar essa bravata do pastor e confirmamos que esse embuste nunca aconteceu. O pastor de fato foi palestrar em uma igreja católica, mas sequer citou o nome de Maria.

A igreja católica a que o pastor Cláudio esteve presente em palestra é a Paróquia Nossa Senhora Rainha, da Arquidiocese de Belo Horizonte. A paróquia negou em comunicado que o pastor tenha tratado de dogmas marianos em suas dependências como podemos ver abaixo:


Fica assim provado, que o gaiato e bravateiro pastor Cláudio Duarte é um grande mentiroso, que consegue assim enganar seus seguidores dentro de sua religião, mas jamais os católicos.

Lutero, fundador da religião do gaiato e bravateiro pastor Cláudio, o corrige em todos os seus pensamentos erráticos sobre Maria:

"Deus não deriva sua divindade de Maria; mas isso não quer dizer que é errado dizer, que Deus nasceu de Maria, que Deus é o Filho de Maria, e que Maria é a mãe de Deus ... Ela é a verdadeira mãe de Deus e portadora de Deus ... Maria amamentou Deus, abalou Deus para dormir, preparou caldo e sopa para Deus, etc. Deus e homem é uma pessoa, um Cristo, um filho, um Jesus. Não dois Cristos ... apenas como o seu filho, não é dois filhos ... mesmo que ele tenha duas naturezas, corpo e alma, o corpo é de você, a alma de Deus. "
-Martin Luther (dos Conselhos e da Igreja, 1539)

"Ela é cheia de graça, proclamada para ser inteiramente sem pecado, algo muito grande. Por graça de Deus encheu-la com tudo de bom e fez com que ela fosse desprovida de todo o mal."
-Martin Luther (Personal {"Little"} Prayer Book, 1522)

"A veneração de Maria está inscrita no mais profundo do coração humano."
-Martin Luther (Sermão, 01 de setembro de 1522).

"[Ela é a] mais elevada mulher e a jóia mais nobre no cristianismo depois de Cristo. ..ela é nobreza, sabedoria e santidade personificada. Nunca podemos honrá-la o suficiente. Ainda honra e louvor deve ser dado a ela de tal forma sem ferir nem Cristo, nem as Escrituras ".
-Martin Luther (Sermão, Natal, 1531).

"Nenhuma mulher é como você. Você é mais que Eva ou Sara, abençoada acima de tudo nobreza, sabedoria e santidade."
-Martin Luther (Sermão, Festa da Visitação 1.537.).

"Deve-se honrar Maria como ela mesma desejou e como ela expressou no Magnificat. Ela louvou a Deus por suas ações. Como então podemos elogiá-la? A verdadeira honra de Maria é a honra de Deus, o louvor da graça de Deus ... Maria é nada para o bem de si mesma, mas para a causa de Cristo ... Maria não deseja que chegamos a ela, mas através dela a Deus. ".
-Martin Luther (Explicação do Magnificat, 1521)

Pela honra e glória devida à Maria, santa mãe de Deus, aqui encerro essa refutação, e aviso ao pastor Cláudio, que seu rio vomitado foi engolido.

“A terra, porém, veio em socorro da Mulher: abriu a boca e engoliu o rio que o Dragão tinha vomitado. Cheio de raiva por causa da Mulher, o Dragão começou a combater o resto dos filhos dela, os que observam os mandamentos de Deus e guardam o testemunho de Jesus. “ (Ap 12,16-17)

Deus tenha piedade do que levado pelo ódio, não sabe o que diz.

Fimdafarsa.


domingo, 11 de junho de 2017

NOBREZA AFRICANA CONTRABANDEAVA ESCRAVOS PARA O BRASIL


Retrato realizado pelo pintor holandês Albert Eckhout de D.Miguel de Castro, nobre do Reino do Kongo, durante uma viagem comercial à colônia portuguesa do Brasil. O quadro é do século 17 e pertence ao acervo do Museu Nacional da Dinamarca.


A informação é surpreendente. Praticamente inédita. Para os mais empedernidamente crentes no primitivismo selvagem dos africanos nos idos do século 17, a  notícia é mesmo i-na-cre-di-tá-vel. Mas é fato. Modéstia à parte um achado historiográfico impressionante.Corro atrás de evidências sobre este mistério há muitos anos, depois de ter lido em algum lugar, num texto de Câmara Cascudo, se não me engano, uma informação muito vaga sobre uma mítica embaixada que a rainha Nzinga Mbandi (Jinga) teria enviado ao Brasil, á época do domínio holandês.

A ausência total de qualquer outra referencia sobre o assunto – apenas ventilado por Câmara Cascudo num daqueles seus livros de folclore, quase como se fosse uma lenda colonial – sempre me intrigou, apaixonou. Pensei na época, instigado: E se fosse verdade? Quantos paradigmas seriam quebrados acerca das relações entre africanos e europeus no âmbito das conflituosas relações intercontinentais no século 17? Pois bem amigos, eu,  pesquisador leigo, bisbilhoteiro profissional, consegui provar com dados absolutamente cabais e inquestionáveis o fato perseguido: Na década de 1640, em pleno domínio holandês no Brasil e em Angola, uma embaixada africana viajou até Recife sim. Veio comandada por um nobre africano e trouxe presentes (ouro, marfim, escravos, etc.) para o governador geral do Brasil holandês Maurício de Nassau.

Nem ouse duvidar.Tenho para comprovar a vocês esta sensacional descoberta nada mais nada menos que o retrato fiel do próprio embaixador angolano e de dois de seus servos com amostras de presentes trazidos para o dignatário holandês. É tudo verdade, gente! Está atestado! Mesmo que você relute e não queira, vai ter que acreditar.  Albert Eckhout juntamente com Franz Post, foi um artistas holandeses que, oficialmente fizeram parte ativa do grupo trazido por Maurício de Nassau no século 17, para fazer o registro artístico e documental da ocupação holandesa no Brasil no período entre1640/1648). Na crônica sobre este período, chama a atenção a hipótese de ter havido uma grande viagem diplomática mandada ao Brasil, por iniciativa da Rainha Nzinga Mbandi doreino do Ndongo-Matamba a pedido de seu irmão o Rei do Kongo na época Nkanga a Lukeni (D. Garcia II) com o objetivo de negociar com a Companhia das Índias Orientaise Ocidentais.

A inusitada viagem ocorrida, segundo as poucas fontes existentes em fevereiro de 1642 (provavelmente a única integrada e comandada por africanos registrada na história do colonialismo no período)  foi bancada pela coroa holandesa que segundo pouquíssimos relatos, enviou especialmente da Europa um navio denominado ‘ As armas de Dortrecht’ até o porto de Luanda e daí até Recife para depois seguir para Amsterdam,tendo como chefe da missão aquele que seria o tio dos dois soberanos africanos, o Conde de Nsoyo.
.
O reino do Nsoyo sempre fora associado ao do Kongo por laços de parentesco (geralmente governado por um tio do Rei do Kongo), com curtos períodos de cisão, por conta das regras de sucessão e divisão do poder e do território nos reinos da região, fundadas em laços de família (‘kandas’) com origens ancestrais remontando a fundação do reino hegemônico do Kongo por volta do ano 1300/1400). Considerando-se o curto espaço de oito anos que este tipo de flagrante contou para que pudesse ser realizado (o tempo em que os holandeses tiveram acesso e controle da situação nestas colônias é historicamente bem restrito) é instigante a possibilidade deste D. Miguel de Castro – que um documento da época o designa como ‘rico comerciante’ – cuidadosamente vestido como um nobre holandês, chefe reconhecido desta, com toda certeza, rara missão ao Brasil, tenha sido na verdade alguém ligado diretamente à Nzinga Mbandi , quem sabe o próprio Conde de Nsoyo, seu tio.Além deste existem outros retratos também realizados pelo mesmo Eckhout , por ocasião da mesma viagem, com as figuras descritas como sendo dois ‘servos’ de D.Miguel de Castro, do mesmo modo vestidos com roupas holandesas, um portando um cesto decorado que deve conter ouro e o outro com uma enorme peça de marfim.


Século 17- Servos de D. Miguel de Castro pintados também por Albert Eckhout.

Curiosa também é a informação – algo improvável a nosso ver – pelo menos segundo uma das fontes consultadas – de que a roupa holandesa dos personagens teria sidovestida na ocasião (ou mesmo aplicada na imagem posteriormente) apenas para compor uma peça de propaganda, com finalidades aculturativas) Na pesquisa suplementar que ora realizo sobre os instigantes incidentes desta viagem – com a providencial ajuda do amigo angolano Aristóteles Kandimba, que reside,coincidentemente em  Amsterdam, Holanda a poucos minutos da cidade portuária de Dortrecht , origem provável do navio que transportou o embaixador africano, o mais surprendente é a quase total ausência de dados ou documentos sobre tão inusitado fato histórico além dos que eu mesmo consegui encontrar.


As razões inacreditáveis deste formidável incidente histórico ter ficado oculto eobscurecido, quase desconhecido por tantos séculos é quase inexplicável. No caso da historiografia brasileira, tão pouco ciosa – quase displicente – diante das estreitas relações entre a história angolana e a brasileira isto é até explicável, mas o que dizer da historiografia  mundial. Pode ser que existam, mas nem mesmo em John Tornthon, emérito e arguto historiador da universidade da Pensylvania especializado neste período histórico empolgante, encontrei notícias ou mesmo a mais vaga referência acerca deste fato, agora  facilmente comprovado por meio da descoberta das telas de Eckhout 
Não consegui ainda relacionar o homem retratado por Albert Eckhout  com o mandatário do reino do Nsoyo (que, como já disse, os primeiros indícios dão conta de ser tio da rainha Nzinga). Contudo o fato deste homem ter sido identificado com um nome português – D.Miguel de Castro - prática comum apenas entre membros da aristocraciada região (reinos do Kongo, Matamba, Ndongo, Nsoyo, etc) na qual Nzinga Mbandi eraconhecida também como D.Ana De Souza e seu irmão Nkanga a Lukeni  como D.Garcia II , é evidente que algum título importante neste contexto o embaixador retratado por Eckhout  possuía, nada impedindo que ele pudesse ser realmente o mandatário do Nsoyo. Falta também estabelecer, o que a informação inicial (da qual não possuo a fonte primária) não esclarece, se foi  mesmo verdade que o navio ‘As Armas de Dortrecht’ seguiu para Amsterdam, para onde D. Miguel de Castro teria seguido afim de negociar interesses comerciais e militares da rainha Nzinga Mbandi e de seu irmão, Nkanga a Lukeni , com os – com certeza – acachapados executivos da Companhia das Índias Ocidentais. O que qualquer um de nós não daria para encontrar dados mais detalhados, um diário de bordo, uma notícia fortuita qualquer de negros africanos andando pelas ruas de Amsterdam do século 17, algo emocionante sobre esta insuperável aventura histórica, sem precedentes conhecidos?

Contudo, desmontando em parte este meu pessimismo investigativo, Rapahel Crespoum amigo do facebook me escreve agora mesmo, num comentário surpreendente: Trata-se do retrato de um enviado do Rei do Congo, na categoria de embaixador, com a missão de rogar a Maurício de Nassau que interviesse no sentido de dirimir divergências que mantinha com o Régulo de Sonho, na embocadura do Congo". Enviaram para tanto o Rei do Congo, Garcia II (também referido como Garcia IV), e o Soba de Sonho, Daniel Silva, também chamado pitorescamente Conde de Sonho, aproximadamente na mesma época, seus delegados com presentes e mensagens quer  para Nassau, quer para o Príncipe de Orange, quer para a direção da Companhia das Índias. Há citações de que trouxeram os emissários do Rei um presente de 600 escravos, sendo uma terça parte para o Príncipe, outra para o Conde de Nassau e uma terceira parte para a Compania das Índias. Os emissários do Régulo de Sonho, chegados ao Recife em dezembro de 1642, eram três, e seus nomes ficaram registrados: Miguel de Castro, Bastião Manduba e Antônio Fernandes cada qual com um criado.

Trouxeram de presente seis escravos. Dos três, o primeiro seguiu para Holanda e osoutros regressaram à África, em maio de 1643. Quanto aos enviados do Rei não hárelatos que tenham ido à Holanda. Sobre sua chegada ao Recife existe referência àdata de 12 de Maio de 1643 – (“Albert Eckhout – Pintor de Maurício de Nassau no Brasil 1637/1644″ – Clarival do PradoValladares – Livroarte Editora)
E isto sem falar que esta época é exatamente o período onde floresce o Kilombo de Palmares
no mesmo Recife onde esta inusitada embaixada africana aportou. Conterrâneos já se sabe, mas haveriam parentes do embaixador D. Miguel de Castro em Palmares? Sabe-se já com alguma certeza que os escravos de Palmares em sua maioria não eram escravos comuns, mas prisioneiros de guerra, alguns até aristocratas como presumo que fossem as famílias e a dinastia de líderes denominados todos – como Nkanga a Lukeni de … ‘Nkanga a Nzumbi’. E imaginem o meu prazer, quase infantil em ter podido comprovar, pelo menos parcialmente esta história eletrizante que tão pouca gente tinha ouvido falar? Orgulhoso que estou – com toda razão, convenhamos – como detetive precursor, só espero que os historiadores profissionais ou amadores que vão a partir de agora seguir as pistas deste furo de reportagem histórico (na acepção da palavra) não se esqueçam de citar as fontes que os precederam (Roberto Correia, o historiador português que citou em seu blog a viagem e o nome do navio, o pintor Albert Eckhout que retratou o embaixador com seus ‘servos’ e principalmente eu Spírito Santo que futriqueiro de nascença que sou, segui as duas pistas até conseguir estabelecer os incríveis vínculos entre as duas informações a ponto de comprová-las (sem esquecer do velho folclorista Câmara Cascudo, é claro, o primeiro a levantar esta lebre da Rainha Jinga, pelo menos para mim… e ao moço Raphael Crespo que tantos detalhes mais acrescentou a esta  formidável  história).

Spírito Santo
Abril 2011

sábado, 3 de dezembro de 2016

Refutando Luiz Felipe Pondé, o profeta sectário





Por Fernando Nascimento


O filósofo anti-católico Luiz Felipe Pondé, neste vídeo: https://www.youtube.com/shared?ci=M451Wanl1R8 com sua filosofia feiosa, resolveu dar uma de profeta proferindo raivosos insultos à Igreja Católica, enquanto tecia  rasgados elogios às seitas protestantes, contra quem a palavra de Deus diz claramente: “Noteis os que promovem dissensões (divisões) e escândalos contra a doutrina que aprendeste; desviai-vos deles. Porque os tais não servem a Nosso Senhor Jesus Cristo, mas ao seu ventre; e, com suaves palavras e lisonjas, enganam o coração dos símplices”. (Romanos 16,17-18).

A conduta de Pondé não nos surpreende, o próprio Lutero nos legou o relato dessa prática, anos antes de lançar-se em revolta aberta, dizia: “(...) os hereges não são bem acolhidos se não pintam a Igreja como má, falsa e mentirosa. Só eles querem passar por bons: a Igreja há de figurar como ruim em tudo.” (Franca, Leonel, S.J. A Igreja, a reforma e a civilização, Ed. Agir, 1952, 6ª ed. Pág. 200).

Refuto abaixo as profetadas do filósofo tupiniquim Pondé. Atentem, para o grau de desinformação histórica desse cidadão.

1- Pondé quando fala dos Estados Unidos, desconhece que é justamente a Igreja Católica, a igreja que mais cresce naquele país protestante; desconhece que a Igreja Católica é 4 vezes maior que a igreja Batista, a maior igreja protestante; desconhece que o catolicismo é a maior denominação religiosa de 33 dos 50 estados norte americanos; desconhece que recentemente a Igreja católica comprou a maior igreja protestante americana. http://blog.comshalom.org/carmadelio/39155-maior-igreja-protestante-dos-eua-agora-e-catolica

2. Igualzinho ao Pondé, os “profetas” da Revista Veja quebraram a cara quando há 16 anos “profetizaram” que hoje o Brasil seria uma “nação evangélica”. Pois bem, os líderes “evangélicos” citados na revista, ou foram presos, ou faliram e perderam seus seguidores, confira : https://caiafarsa.wordpress.com/brasil-nacao-evangelica/

3- A Igreja Católica não tem “1500 anos”, como boqueja o mentiroso Pondé. Lá pelo ano 106 já dizia Santo Inácio de Antioquia: ”Onde estiver o bispo, esteja o povo, assim como onde está Jesus Cristo, está a Igreja Católica”. (Santo Inácio de Antioquia, Carta aos Esmirnenses, 8, ano 106 d.C.).

4- O desinformado Pondé desconhece, mas SÉRGIO MORO já está na Igreja Católica desde criança junto a sua família, confira: http://blog.opovo.com.br/ancoradouro/imagem-da-virgem-de-guadalupe-protegendo-sergio-moro-viraliza-na-internet/  e o que ele mais prendeu foi político da bancada evangélica, confira: https://noticias.gospelmais.com.br/jornalista-bancada-evangelica-ausente-inexpressiva-congresso-36657.html

5- Ao contrário do que boqueja o irresponsável e mentiroso Pondé, a Igreja Católica com toda sua competência, costuma crescer justamente nos lugares menos prováveis, abaixo cito alguns exemplos para desmoralizar ainda mais o profeta de araque Pondé:


Presidente da Sociedade Teológica Evangélica retorna à Igreja Católica

Continua a crescer o número de católicos no mundo

Maior igreja protestante dos EUA agora é Católica.

Catolicismo que cresce no coração do mundo islâmico

Catolicismo cresce na China, apesar das perseguições

6. O ignorante Pondé, pensa que a Igreja Católica é brasileira, daí ele deduzir que a Igreja Católica é segundo sua ignorância: “vai pra Roma, volta de Roma”. Engano seu, ao contrário do que pensa o Pondé, a Igreja Católica sediada em Roma, é a única instituição que mantém relações diplomáticas com todos os países do mundo. E também a que mais ajuda os países pobres. O Papa João Paulo II recebeu Steve Bono, vocalista da banda U2 pouco antes do início do grande Jubileu do ano 2000 para conversar sobre a dívida dos países pobres. Logo depois da morte do Papa, Bono assinalou que “nunca teríamos erradicado completamente a dívida de 23 países sem ele”. Fonte: ROMA, 20 Nov. 12 / 02:23 pm (ACI/EWTN Noticias).

7. O ignorante profeta Pondé já nasceu desatualizado. Diz matéria do G1 publicada em 02/05/2007: “A pesquisa também revelou que a Igreja Católica parou de perder fiéis no Brasil. Na década de 1990, o número diminuía cerca de 1% a cada ano. A partir de 2000, não houve mais queda.” http://g1.globo.com/Noticias/Economia/0,,MUL30239-5599,00.html

Essa não é a primeira vez que refutamos aqui no Fim da farsa intelectuais anti-católicos que são verdadeiros analfabetos funcionais: http://fimdafarsa.blogspot.com.br/2012/03/vergonha-dos-intelectuais-anti.html

Desde o primeiro século, levantam-se os hereges para decretar o fim da Igreja Católica, mas a Igreja Católica, fundada por Aquele que desceu do céu e disse "as portas do inferno não prevalecerão contra ela", tem visto a cor dos ossos de todos esses hereges.

Fim da farsa.

domingo, 30 de outubro de 2016

Testemunhas de Jeová usam mentiras e imagem do Papa para se promover

Por Fernando Nascimento

A seita Testemunhas de Jeová andou difundindo na internet um artigo mentiroso com a seguinte mentira:


Dizia o mentiroso artigo logo abaixo a manchete e foto acima:

“Segundo um jornal de destaque na Itália, a Igreja Católica, por exemplo, ressoou um “grito de alarme” porque anualmente aproximadamente 10.000 católicos se tornam Testemunhas de Jeová (TJs.). Os clérigos não desejam perder os seus rebanhos, justamente para um grupo minoritário em quantidade. Mas quais são as técnicas de sucessos utilizadas pela Testemunhas para angariar tantos adeptos? Pergunta esta feita por inúmeros dirigentes da Igreja Católica, os quais receberam o aval papal para que descobrissem as causas.

“Sob o prisma religioso, os mais perigosos são de fato as Testemunhas de Jeová porque elas são muito bem treinadas e tem uma bíblia nas mãos sempre, disse o jesuíta italiano Giuseppe De Rosa. A conclusão semelhante chegou a revista jesuíta no Vaticano, La Civiltà Cattolica, quando escreve que “o 1.º motivo para a propagação do movimento são as estratégias de pregação feita de forma minuciosa, de casa em casa por indivíduos muito bem treinados para este fim e os mesmos estão convencidos da veracidade do que falam. O 2.º motivo é o poder de atração das boas novas do seu Deus Jeová, que é capaz de sustentar, satisfazer as demandas, anseios e desejos do ser humano nos instáveis tempos modernos”.

A mesma revista católica ainda aborda a existência de uma “3.ª razão para o êxito de crescimento das TJs, que é conferir aos seus membros uma acolhida fraterna nos seus locais de adoração”, o que faz total sentido, já que conforme algumas pessoas, elas dizem viver em um mundo competitivo e egoísta voltado para si próprio.”


A VERDADE:

Tudo que você acabou de ler é mentira. Eles sequer disseram qual seria o “jornal de destaque na Itália” que publicou isso.  Veja nesse artigo o que na verdade disse o jesuíta Giuseppe De Rosa na Revista La Civiltá Cattolica:

"La Civiltà Cattolica": as Testemunhas de Jeová não são cristãos

Em um artigo a ser publicado na próxima edição de "La Civiltà Cattolica", padre Giuseppe De Rosa diz que as Testemunhas de Jeová "não são cristãos" porque "deturpou as Sagradas Escrituras" não tem uma vida "estritamente religiosa" e o que é talvez pior, sofrem com a organização", uma espécie de plágio mentais" que leva a quebrar qualquer relação humana com quem não faz parte da sua organização.

Afirmar cada uma dessas declarações, a revista dos jesuítas oferece uma série de testes. Por exemplo, você não pode definir dois cristãos, porque eles negam dogmas sem a qual não haveria Cristianismo: a Trindade e a divindade de Jesus, Filho de Deus encarnado.
Embora as Testemunhas de Jeová se definam como os "únicos verdadeiros cristãos" para eles "Jesus não é Deus, mas é a primeira criatura de Deus e identificado com o arcanjo Miguel."

Em seguida, "têm uma Bíblia própria que não é a hebraico-cristão" e é traduzida "de modo a confirmar a doutrina jeovista" com "falsificação no essencial, para fazê-la dizer coisas que ela não diz, ou para fazê-la dizer o oposto do que diz".

No jeovismo também não há "práticas religiosas e vida sacramental". O batismo dos Testemunhas de Jeová, diz De Rosa pai, "não é um sacramento, mas o sinal dado aos outros que fizeram a decisão de servir a Jeová. E apenas uma vez por ano tem uma reunião em massa para comemorar a morte de Jesus". A cerimônia inclui uma solene oração, uma canção, um lembrete do que Jesus fez na Última Ceia e da "passagem de símbolos", ou seja, o pão e o vinho, mas nem todos assumem, apenas um que se sente que faz parte dos 144.000 "ungidos" que destina-se a estar com Jesus no céu, enquanto todas as outras testemunhas de Jeová vivem em uma espécie de paraíso terrestre.

“O fato das mudanças na data do fim do mundo, 1874, 1914, 1925, 1975, para uma data iminente não especificada" não causaram uma crise no jeovismo e é explicável pela "martelar psicológica contínuo" a qual seguidores são submetidos. Isso resulta "na destruição do homem mais propriamente humano e por prejudicar a sua capacidade de pensar de forma independente, de raciocinar e exercer a capacidade crítica na sua liberdade." Sem contar, argumenta" La Civiltà Cattolica "- que são concepção altamente censurável de Deus e até mesmo o fato de que o jeovismo induz a considerar estranhos e a evitar todos aqueles que não são Testemunhas de Jeová."

Pergunta padre De Rosa: "Como pode Deus, o Deus verdadeiro, que você não deva praticar uma transfusão de sangue para uma criança que está condenada a morrer? Um Deus que quer uma coisa dessas pode ser verdadeiramente Deus?"

"Jeová - conclui o artigo- não é o Pai e amigo de todos os homens. Reconhece como seus só as Testemunhas de Jeová e só para eles havia preparado o paraíso terrestre. Para todos os outros homens a destruição e o extermínio. " Em suma, "um Deus exterminador de milhões de homens."  http://www.conoze.com/doc.php?doc=1196

Tudo isso é vergonhoso para um grupo religioso que inventa nome para Deus (Jeová) e se promove chafurdando na mentira.

Encerramos essa refutação mostrando um vídeo bem interessante sobre o insucesso de duas jeovistas diante de um sacerdote católico em plena missa:
https://gloria.tv/video/H88ESTZe8qQS313jFPuiiZ34Y


Fim da farsa.


terça-feira, 18 de outubro de 2016

Agora Elisson Freire terá que excluir grande parte de seus artigos mentirosos

Clique na foto para ampliar


Por Fernando Nascimento


Tropeçando em suas próprias mentiras e sem conhecer a Carta 59 de São Cipriano, o anacronista protestante Elisson Freire havia publicado vários Artigos onde alegava que:

- “Constantino foi quem deu a Igreja Católica Romana a conhecida autoridade sobre as demais.” - ( Como, se décadas antes de Constantino nascer, São Cipriano escreveu da África ao Papa da Igreja Católica de Roma  dizendo que a Igreja Romana é a "catedra de Pedro" e a "Igreja principal em que a unidade sacerdotal tem sua fonte"?)

- “A Igreja Católica primitiva não significa a Igreja de Roma.” - (Como, se São Cipriano está dizendo que a Igreja Católica de Roma é a "Igreja principal em que a unidade sacerdotal tem sua fonte"?)

- “São Cipriano nem ligava para o Papa.” - ( Como, se São Cipriano está escrevendo para o Papa da Igreja Católica Romana e dizendo que aquela é a “cátedra de Pedro” e a "Igreja principal em que a unidade sacerdotal tem sua fonte"?)

- “Os ortodoxos são anteriores a Igreja de Roma.” - ( Como, se São Cipriano diz que em Roma “a unidade sacerdotal tem sua fonte”, e não na igreja ortodoxa que nem existia?).

Como se vê acima, coloquei entre parênteses os alfinetes que explodem as mentiras do Elisson sem precisar perder tempo refutando seus textões mentirosos que não resistem a um simples alfinete da verdade.

Agora vejamos como o tradutor protestante Philip Schaff deu o drible da vaca no hilário Elisson num estádio lotado.

O tradutor protestante Philip Schaff havia mudado o número da carta de Cipriano, de 59 para 54, em sua tradução inglesa usada pelo Elisson. Quando eu citava a Carta 59,14 como fonte da frase de São Cipriano que destruía os artigos do Elisson, o precipitado Elisson se adiantava em me acusar de “adulterador das cartas de Cipriano” porque olhava a tradução protestante na carta 59,14 citada por mim e não via a frase lá.

Ora, na tradução protestante está na Carta 54,14. Sim, a frase está lá pra infelicidade do Elisson, que terá que excluir grande parte de seus artigos mentirosos que renegam a Igreja Católica de Roma como Matriz da Igreja e como Cátedra de Pedro.

Eis a carta de São Cipriano ao Papa Cornélio de Roma, tão temida pelo Elisson, denunciando a ida de alguns hereges à Roma, e encontrada na tradução protestante que enumerou a carta de São Cipriano como sendo a 54,14. Os grifos são meus:

“Com um bispo falso apontado eleito por hereges, eles se atrevem a navegar e levar cartas de cismáticos e blasfemos para a cátedra de Pedro e à Igreja principal, em que a unidade sacerdotal tem a sua fonte; eles nem pensaram que estes são romanos, cuja fé foi elogiada na pregação pelo Apóstolo, e entre os quais não é possível a perfídia ter entrada.(Cipriano, Carta 54, 14 a Cornélio de Roma, c. AD 252) http://www.newadvent.org/fathers/050654.htm

Como se vê o Elisson não tem a menor noção de contexto histórico do cristianismo, suas divagações partem de retalhos que ele acha no Google e na desonesta literatura protestante. Após ter suas sandices refutadas por um curto trecho de uma carta de São Cipriano, esperamos que ele se mostre honesto e exclua os embustes de publicou.

Fim da farsa.


quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Refutando o Muçulmano Zakir Naik



Por Fernando Nascimento

Esta é uma refutação católica ao desonesto muçulmano Zakir Naik, que diante de uma pseudo católica, no vídeo abaixo, se valia de toda sorte de sofismas e até versículo inexistente para negar a divindade de Jesus. Este é o vídeo publicado pelo muçulmano: https://www.youtube.com/watch?v=wVh7BIUopi8

Esta refutação provará que Jesus é um Deus e que o muçulmano Zakir Naik é uma pessoa desonesta.

Vamos então aos argumentos do muçulmano, na cor vermelha, que refuto na cor preta logo a seguir:  

- “Você está seguindo a igreja, ou a Jesus Cristo? Se você esta seguindo a igreja... suas chances de ir para o inferno são bem altas.”

R. O enganador tenta com sua lábia, fazer com que Jesus e a Igreja pareçam ser coisas opostas“. Logo as Escrituras corrigem o desonesto muçulmano e mostram que Jesus é chefe da Igreja que é seu corpo:

“E (Deus) sujeitou a seus pés todas as coisas, e o constituiu (Jesus) chefe supremo da Igreja, que é o seu corpo, o receptáculo daquele que enche todas as coisas sob todos os aspectos.” (Efésios 1,22-23)

Jesus disse aos 70 discípulos iniciais de sua Igreja: ”Quem vos ouve, a mim ouve; e quem vos rejeita, a mim rejeita; e quem me rejeita, rejeita aquele que me enviou.” (Lucas 10,16)

Disse ainda: “Se recusa ouvi-los, dize-o à Igreja. E se recusar ouvir também a Igreja, seja ele para ti como um pagão e um publicano.” (Mateus 18,17)

Logo fica provado que o muçulmano que não ouve a Igreja e ainda forja sofismas como faz o enganador Zakir Naik, é um pagão.

- “todas as passagens que foram ditas por Jesus costumam estar em vermelho... não é?”

R. Negativo. Estão na mesma cor preta de todo o texto da Bíblia.

Uma observação: A pseudo católica não sabia disso, (o que torna o vídeo suspeito), e estranhamente também não tinha certeza se Jesus é um Deus. Ora, sabermos que qualquer criança aprende que Jesus é um Deus, nas aulas de catecismo. Mais estranho ainda, é o fato de católicos americanos terem convidado Zakir Naik para um debate e ele ter recusado todas as propostas até agora, mesmo com um dos católicos desejando ir até a Índia, seu país. Prossigamos com as refutações das falácias do muçulmano no vídeo:

- “Nenhum muçulmano é muçulmano se ele não acreditar em Jesus Cristo.”

R. Isso é uma mentira deslavada! Muçulmano acredita mesmo é em Maomé. Quem acredita em Jesus, aceita o evangelho é batizado numa Igreja cristã, e não no tardio islamismo fundado no século VII. Pois assim Jesus ensinou aos seus discípulos, no primeiro século: “... Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado.” (Marcos 16,16).

Como os muçulmanos não crêem no evangelho e não são batizados, não seguem Jesus, estão todos condenados debaixo do Al Corão. O próprio Zakir Naik afirma em seu vídeo aos 1:16min: “Se você está seguindo Jesus, Imshallah... Você deve ir para o Céu!” - Logo não é Maomé a quem se deva seguir para ir para o céu, visto que Jesus disse, séculos antes de Maomé existir: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.” (João 14,6)

- “Mostre-me um versículo em qualquer lugar da Bíblia onde Jesus afirme ser um Deus, que aceito a cristandade hoje.”

R. O muçulmano sabe muito bem que a Bíblia reúne livros que falam sobre Jesus, e não livros onde Jesus fala de si.  Todos sabemos que Deus Pai é um Deus e a resposta logo é dada ao muçulmano quando Jesus diz: "EU E O PAI SOMOS UM.” (João 10,30). Ou seja: possui a mesma essência divina do pai, sendo portanto, DEUS.
A Bíblia prossegue calando o astuto muçulmano:

“E O VERBO SE FEZ CARNE E HABITOU ENTRE NÓS, e vimos sua glória, a glória que O FILHO ÚNICO RECEBE DO SEU PAI, cheio de graça e de verdade. João dá testemunho dele, e exclama: Eis aquele de quem eu disse: O que vem depois de mim é maior do que eu, porque EXISTIA ANTES DE MIM.” (João 1,14-15)

“Sabemos que o FILHO DE DEUS veio e nos deu entendimento para conhecermos o Verdadeiro. E estamos no Verdadeiro, nós que estamos em seu Filho Jesus Cristo. ESTE É O VERDADEIRO DEUS E A VIDA ETERNA.” (1João 5,20)

“Respondeu-lhe Tomé: MEU SENHOR E MEU DEUS!” (João 20,28)

Diante de tudo isso, precisaria uma pedra dizer que é pedra para ser uma pedra?
Aguardo o muçulmano honrar sua palavra e ir aceitar a cristandade na Igreja Católica mais próxima.

- “Jesus disse no evangelho de João 14,28, o Pai é maior do que Eu”

R. Óbvio que numa hierarquia familiar todo pai é maior que o filho.

- “Jesus disse no evangelho de João 10,29, O Pai é maior do que todos.”

R. Mas no versículo seguinte (30), fechando o contexto, Jesus diz: “Eu e o Pai somos um.” Logo ninguém é maior do que Deus e Jesus.  - Vejam o verdadeiro contexto em que Jesus fala em João 10,29: “Eu lhes dou a vida eterna; elas jamais hão de perecer, e ninguém as roubará de minha mão. 29. “Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém as pode arrebatar da mão de meu Pai.” 30. “Eu e o Pai somos um.”

Espero que esse muçulmano tenha aprendido que quem dá a vida eterna é Jesus e não o pecador Maomé.

- “Evangelho de Lucas 11,20: expulso demônios pelo dedo de Deus.”

R. Jesus diz isso respondendo aos fariseus que diziam que Ele fazia isso por Belzebu.

Na verdade disse Jesus em Lucas 11,19-20: “Ora, se é por Beelzebul que expulso os demônios, por quem o expulsam vossos filhos? Por isso, eles mesmos serão os vossos juízes! Mas se expulso os demônios pelo dedo de Deus, certamente é chegado a vós o Reino de Deus.”

Citando João 5,19, o muçulmano alega: - “o filho não pode fazer nada se não vier do Pai”

R. Neste versículo, Jesus termina dizendo que: “tudo o que o Pai faz, o faz também semelhantemente o Filho.”

Veja o que diz o versículo de João 5,19 completo, sem a tesoura do muçulmano: 19.”Jesus tomou a palavra e disse-lhes: Em verdade, em verdade vos digo: o Filho de si mesmo não pode fazer coisa alguma; ele só faz o que vê fazer o Pai; e tudo o que o Pai faz, o faz também semelhantemente o Filho.”

- “João 15,24, “As palavras que lhes falo não são minhas... mas do pai”

R. Mentira! O muçulmano mudou o texto deste versículo.

Na verdade, diz Jesus no versículo João 15,24, falseado pelo muçulmano: “Se eu não tivesse feito entre eles obras, como nenhum outro fez, não teriam pecado; mas agora as viram e odiaram a mim e a meu Pai.”

Desinformado que Jesus é um Deus feito homem nascido em Nazaré, afirma o muçulmano: - “Está bem claro em Atos 2,22 a frase: ‘Povo de Israel, escutem: Jesus de Nazaré, um homem aprovado por Deus entre vocês.’”

R. Mais uma vez ele pesca o que lhe convém e omite o que o refuta. No mesmo capítulo 2,36 de Atos, na sequencia do texto está escrito: “Que toda a casa de Israel saiba, portanto, com a maior certeza de que este Jesus, que vós crucificastes, Deus o constituiu Senhor e Cristo.”  - Se também não tivesse omitido Romanos 9,4-5, teria lido: “Eles são os israelitas; (...) deles descende Cristo, segundo a carne, o qual É, sobre todas as coisas, DEUS BENDITO PARA SEMPRE. Amém.”

- “Os muçulmanos... seguem mais os ensinamentos de Jesus que os cristãos. Jesus foi circuncidado no oitavo dia e assim fazem os muçulmanos e a maioria dos cristãos não.”

R. Jesus nunca ensinou a circuncisão em nenhum versículo da Bíblia, Seus pais apenas cumpriram uma lei local judaica. O islamismo copiou isso mais tarde.

Quando Cristo ficou adulto e fundou o Cristianismo, a circuncisão foi substituída pelo batismo. Confira:
“Nele também fostes circuncidados com circuncisão não feita por mão de homem, mas com a circuncisão de Cristo, que consiste no despojamento do nosso ser carnal.
Sepultados com ele NO BATISMO, com ele também ressuscitastes por vossa fé no poder de Deus, que o ressuscitou dos mortos.” (Colosensses 2,11-12)

- “Jesus disse que você deveria seguir toda a lei (torah) Em Mateus 5,17.”

R. Isso não é verdade. Jesus diz neste versículo que não veio para abolir a lei e os profetas, mas para aperfeiçoá-los, e de fato o fez até a morte ao dizer "Tudo está consumado." - Mas diante da brutalidade e intolerância dos judeus, que acabaram por matá-lo pelas mão do Império Romano quebrando a aliança com Deus, Jesus deu-nos um novo mandamento e nos deu a lei da liberdade.

“É para que sejamos homens livres que Cristo nos libertou. Ficai, portanto, firmes e não vos submetais outra vez ao jugo da escravidão. Eis que eu, Paulo, vos declaro: se vos circuncidardes, de nada vos servirá Cristo. E atesto novamente, a todo homem que se circuncidar: ele está obrigado a observar toda a lei. Já estais separados de Cristo, vós que procurais a justificação pela lei. Decaístes da graça. Quanto a nós, é espiritualmente, da fé, que aguardamos a justiça esperada. Estar circuncidado ou incircunciso de nada vale em Cristo Jesus, mas sim a fé que opera pela caridade. (Gálatas 5,1-6)

Paulo ainda ensina– “Pois todos quantos são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque escrito está: Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las.” (Gálatas. 3,10)

- ” Os versículos: Deteuronômio 14,8; Isaias 60,2-5 e Levítico 11,7-8, proíbem comer carne de porco, coisa que os muçulmanos não comem e a maioria dos cristãos comem.”

R. Isaias 60,2-5 sequer fala em carne de porco, e os demais versículos citados são da legislação abolida. Contra isso Paulo ensina: “Com isso, está abolida a antiga legislação, por causa de sua ineficácia e inutilidade. Pois a lei nada levou à perfeição. Apenas foi portadora de uma esperança melhor que nos leva a Deus.” (Hebreus 7,18-19)

Quanto a carne de porco que era proibida na antiga lei, a nova lei diz: “Ninguém, pois, vos critique por causa de comida ou bebida, ou espécies de festas ou de luas novas ou de sábados. ( Colossenses 2,26)

Que adianta não comer carne de porco e seguir uma religião humana que manda matar pessoas ignorando o “não matarás” da velha lei e dos mandamentos de Jesus? Como vimos, fazendo-se isso se peca por todos os mandamentos.

- “Está escrito em Efésios 4,18 e Romanos 20,1, ‘Você não deve beber álcool”. Muçulmano não bebe álcool, mas os cristãos bebem álcool.’”

R. Há duas malandragens aí. O primeiro versículo, Efésios  4,18, nem fala em álcool ou está tratando do assunto. Diz: ”Têm o entendimento obscurecido. Sua ignorância e o endurecimento de seu coração mantêm-nos afastados da vida de Deus.” E Romanos 20,1 nem existe, pois esta carta ao Romanos só vai até o capítulo 16. A Bíblia em nenhum lugar proíbe a ingestão de álcool, mas a embriaguez.

- “Se cristianismo... significa seguir os ensinamentos de Jesus... então nós muçulmanos somos mais cristãos que os próprios cristãos.”

R. Puro embuste! Passa longe de ser cristão quem segue a Maomé e se agarra a antiga Lei de Moisés:

Contra os que insistem em se agarrar a Lei de Moisés, diz Paulo em (2Cor 3,13-18):
“E não somos como Moisés, que punha um véu sobre a sua face, para que os filhos de Israel não olhassem firmemente para o fim daquilo que era transitório.
Mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do velho testamento, o qual foi por Cristo abolido;
E até hoje, quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o coração deles.
Mas, quando se converterem ao Senhor, então o véu se tirará.
Ora, o Senhor é Espírito; e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade.
Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.”

Finalizando sua bazófia diante da pseudo “católica”, o muçulmano atirando no próprio pé, cita parcialmente João 16,12-15, dizendo que Jesus disse (para provar que não era um Deus):   - 12. “Muitas coisas ainda tenho a dizer-vos, mas não as podeis suportar agora.  13. Quando vier o Paráclito, o Espírito da Verdade, ensinar-vos-á toda a verdade, porque não falará por si mesmo, mas dirá o que ouvir, e anunciar-vos-á as coisas que virão.”

Ele malandramente parou no versículo 13 e omitiu os versículos 14 e 15 de sua própria citação, onde Jesus diz que o Paráclito o glorificará porque vai anunciar o que receberá de Jesus, e tudo que o Pai possui é dele. Confira:   14.”Ele me glorificará, porque receberá do que é meu, e vo-lo anunciará.” 15. “ Tudo o que o Pai possui é meu. Por isso, disse: Há de receber do que é meu, e vo-lo anunciará. “

Como se vê, Jesus é mesmo um Deus. Que criatura mortal teria o poder de orientar o Paráclito e possuir tudo o que Deus Pai possui? Nenhuma! Jesus assim o pode porque é um Deus. A omissão desse trecho, pôs a perder definitivamente todo esforço em vão do aleivoso muçulmano, e acabou por coroar sua desonestidade.

E para piorar sua situação, diz ele crente que estava abafando: - “Todas são citações da bíblia, na versão King James.”

R. Que fiasco! A versão King James (KJV), é uma errática bíblia protestante desdenhada pelo dramaturgo William Shakespeare e repleta de erros como estes: na primeira edição está escrito no Livro de Ruth 3,15: “Ele entrou na cidade”, enquanto a segunda edição traz: “Ela entrou na cidade”.

Na segunda edição, no Evangelho de Mateus, onde deveria estar escrito que “Jesus entrou no Jardim do Getsêmani e disse aos seus discípulos", está escrito que “Judas, que traiu Jesus, entrou no jardim”. Abaixo mostro o desdenho do dramaturgo:

William Shakespear, aquele da caveirinha, nasceu em 1564, e quando tinha 46 anos, em 1610, participou da tradução da Bíblia protestante do Rei Tiago (King James Version – KJV, publicada em 1611), e maliciosamente forçando a tradução, ele deixou autografado seu sobrenome no Salmo 46. 
Usando uma Bíblia KJV original, localize o Salmo 46 e conte 46 palavras a partir do início: você encontrará a palavra "shake". Vá agora para o final do mesmo Salmo e conte 46 palavras a partir da última voltando: você encontrará agora a palavra "spear". Junte-as, e você obterá "Shakespear"* (veja abaixo).

SALM 46 (King James Version):

"God is our refuge and strength, a very present help in trouble. Therefore will not we fear, though the earth be removed, and though the mountains be carried into the midst of the sea; Though the waters thereof roar and be troubled, though the mountains shake with the swelling thereof. Selah. There is a river, the streams whereof shall make glad the city of God, the holy place of the tabernacles of the most High. God is in the midst of her; she shall not be moved: God shall help her, and that right early. The heathen raged, the kingdoms were moved: he uttered his voice, the earth melted. The Lord of hosts is with us; the God of Jacob is our refuge. Selah. Come, behold the works of the Lord, what desolations he hath made in the earth. He maketh wars to cease unto the end of the earth; he breaketh the bow, and cutteth the spear in sunder; he burneth the chariot in the fire. Be still, and know that I am God: I will be exalted among the heathen, I will be exalted in the earth. The Lord of hosts is with us; the God of Jacob is our refuge".   
( * Dr. Dennis E. Hensley, diretor do departamento de escrita profissional na Universidade de Taylor em Upland, Indiana. Ele possui quatro graus em linguística e literatura, incluindo um Ph.D. em Inglês da Universidade Estadual de Ball. Ele é o autor de 52 livros.). 

E assim está refutado o desonesto muçulmano que bebe em bíblia protestante e consequentemente das mesmas erráticas interpretações protestantes sobre o Velho Testamento.


Fim da farsa.

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

QUEM NA VERDADE FOI DÖLLINGER, LONGE DO LOROTEIRO BOQUEJAR DE ELISSON FREIRE?



RESPOSTA:

Por Fernando Nascimento

Antes, lhes apresento Elisson Freire, um anacronista protestante tomador de cerveja (hic), que vez por outra é pego por nós escrevendo potocas anti-históricas como esta onde ele tenta reabilitar o herege excomungado Döllinger e dar credibilidade a um calunioso livro seu, traduzido por Rui Barbosa e que encalhou no Brasil.

Esse hilário pseudo “apologista protestante”, escorado na vasta literatura paraguaia protestante que adultera a história e faz más traduções, costuma engendrar extensos textos repletos de insultos, citações forjadas e imitação do nosso distinto e original estilo de refutar aleivosos. O resultado disso tudo, são quilométricos textos mentirosos encangados a outros ainda maiores, que nem os discípulos dele leem, preferindo parar no rocambolesco título que chama aquilo de “refutação”.

Vamos então, acabar mais uma vez com o parangolé desse pobre coitado já tão sofrido que eu nem queria contrariar por merisericórdia.

QUEM NA VERDADE FOI DÖLLINGER, LONGE DO LOROTEIRO BOQUEJAR DE ELISSON FREIRE?

Döllinger foi um teólogo e historiador da Igreja que confundiu estado com religião, discordou da infalibilidade papal e foi excomungado por desobediência, correndo logo em seguida pra uma seita chamada “católicos velhos” que reunia apostatas para a alegria do tirano príncipe Bismarck.

A história de Döllinger não é muito diferente de Satã que antes era um anjo de luz no céu, ou a de Judas Scariotes que havia sido selecionado por Jesus para ser um de seus apóstolos. Logo, Döllinger escondido por trás de um pseudônimo, escreveu o livro “O Papa e o Concílio” onde copia muitas lorotas anti-católicas protestantes somadas a insultos à Igreja forjados por ele mesmo.

Diz a mesma Enciclopédia Católica, que o enganador Elisson Freire pescou nela só o que interessava, porque ele mesmo tem gasolina pouca na leitura e muita desonestidade:

“A declaração da infalibilidade papal significou naturalmente para Döllinger um conflito interno grave. Os fatos no entanto, não justificam a afirmação de que ele há muito tempo estava previamente determinado a nunca aceitar o dogma. O Arcebispo de Munique, no entanto, insistiu em uma declaração pública de sua atitude, e Döllinger fracamente cedeu à pressão daqueles que estavam empenhados em apostasia, e escreveu ao arcebispo, em 29 de março de 1871, declarando a sua recusa em aceitar o dogma e indicando os motivos em seu caráter como cristão, teólogo, historiador e cidadão.”

“Leão XIII e Pio X declararam, com a devida formalidade e solenidade, que a Igreja e o Estado cada um dentro de seus próprios limites, são independentes entre si; o retrato de Döllinger de um papa infalível dominador sobre o Estado é, portanto, uma caricatura. Para o grande estudioso era morrer quando escreveu essas palavras, para o teólogo um período de profunda confusão mental, para o cristão, sucumbir à arrogância espiritual, para o cidadão, uma confissão completa da onipotência burocrática do Estado, uma espécie de ressurreição tardia das memórias de sua juventude.
Döllinger tinha definitivamente cortado ligação com a Igreja. Três semanas mais tarde (18 de Abril, 1871), tanto Döllinger e Friedrick foram publicamente declarados excomungados.”

“Isto marcou o surgimento da seita dos ‘católicos velhos’. No Pentecostes do mesmo ano (1871) uma declaração foi publicada, principalmente o trabalho de Döllinger, estabelecendo a necessidade de uma organização eclesiástica. Döllinger também assinou uma petição ao governo pedindo uma das igrejas de Munique. Até agora, a oposição deste partido para a Igreja tinha sido principalmente de um caráter filosófico-histórico, e os estadistas dominantes da época poderia transformá-lo em conta pouco prática. Agora era a hora para um número de canonistas hostis, cuja oportunidade estava nas tendências anti-católicas dos governos do período, o plano de uma igreja nacional alemã Católica do príncipe Bismarck, como independentes de Roma... (como prenunciado por Döllinger em 1849), isso correspondeu com os desejos dos católicos apóstatas, doravante regidos absolutamente pelo canonista von Schulte. (veja VELHO CATÓLICOS).” – Até aqui os trechos que o Elisson limou da mesma página que usou da Enciclopédia Católica, constante em  http://www.newadvent.org/cathen/05094a.htm

Agora vamos desmascarar um cacho de lorotas nesse seu parágrafo tão pequeno. Dizia o enganador protestante Elisson Freire:

“Rui Barbosa traduziu o livro, mas jamais mencionou arrependimento por ter feito o trabalho. A alegação feita pelo Fernando de que Döllinger teria se convertido e daí invalidado o livro, é falaciosa e não passa de uma meia verdade. A única menção que Rui Barbosa faz é "de todas as religiões, ou o catolicismo ou nenhuma”. Isso em referência ao cristianismo.”

REFUTAÇÃO:

1- Rui Barbosa repudiou o livro “O Papa e o Concílio” sim. Veja na página 6, da Academia de letras a repulsa de Rui Barbosa pelo livro: http://www.academia.org.br/abl/media/celebracao12.pdf

2- Eu nunca disse em canto algum que Döllinger teria “invalidado” seu livro cascateiro. Isso é delírio de um sonâmbulo protestante mentiroso. Eu falava de Rui Barbosa e sua tradução.

3- Como visto acima, na mesma Enciclopédia Católica sacada pelo embusteiro Elisson, Döllinger de fato saiu excomungado da Igreja Católica e adentrou a seita chamada “católicos velhos”.

4- É hilária essa afirmação do atabalhoado Elisson: “A única menção que Rui Barbosa faz é "de todas as religiões, ou o catolicismo ou nenhuma”. Isso em referência ao cristianismo.”  ---- RESPOSTA: Kkkkk!!! O sujeito adulterou a frase de Rui Barbosa e ainda lhe atribuiu sua própria ignorância. Como poderia Rui Barbosa, o homem que estudou todas as religiões não saber distinguir o catolicismo cristão da cristã babel protestante??? A frase completa de Rui Barbosa, sem a tesoura do Elisson diz: “Estudei todas as religiões do mundo e cheguei a seguinte conclusão: religião ou a Católica ou nenhuma.” (Livro Oriente, Carlos Mariano de M. Santos (1998-2004) artigo 5º).

Sim, Rui Barbosa era católico sim, e morreu católico, para a infelicidade do Elisson. Em sua mocidade ele chegou a se enganar com a “riqueza” dos países protestantes, sem saber que aqueles países já eram ricos e católicos antes de serem usurpados pelos protestantes; também embarcou na canoa furada de apostatas anticlericais como Dollinger e Saldanha Marinho. Mas para mais uma vez a infelicidade do Elisson, foram exatamente os textos do Papa Leão XIII (lá do começo da historia de Dollinger, lembra?), e de outros católicos, que trouxeram definitivamente de volta Rui Barbosa à prática do catolicismo.  Basta o aleivoso Elisson se informar aqui:
http://www.luizfdesouza.com.br/index.php/2016/08/08/rui-barbosa-grande-catolico-ligado-a-doutrina-social-da-igreja/

O fraquíssimo pesquisador ‘Googleano’, querendo por dúvida sobre a frase de Rui Barbosa e a existência do Livro Oriente alegava: “Além da frase não nos dizer muito, a fonte também não é clara. pois na referência em questão, não há nada mencionado: vejam o link, e vão até o referido artigo 5, não há nada lá.  http://www.paginaoriente.com/livro/livrooriente.htm 

RESPOSTA: Um link quando aspira, não transforma em ‘mentira’ o que anunciava. Até bem pouco tempo, o link de Download deste livro informava que 20 mil pessoas baixaram gratuitamente o Livro Oriente na internet, só esse fraco pesquisador de Google passou batido, e para desmoralizá-lo de vez, apresento o pdf do livro, onde se pode ler claramente a sua temida frase de Rui Barbosa ao final da página 57:
 http://www.ebooksbrasil.org/adobeebook/oriente.pdf

Aqui podemos ver o final da página 57 do livro Oriente digitalizada:



O hilário Elisson Freire, cego pelos insultos gratuitos, escreveu para a gargalhada geral contra ele mesmo:

“A suposta argumentação do Fernando, copiada do yahoo, além de ser tendenciosa, pois desconsidera diversos fatores, também não serve de refutação, pois apenas foca em um ad hominem contra o autor do livro. Vejam de onde o CaiaFarsa, e a turma do Fernando, e outros calangos de língua bipartida tiraram a dita refutação: http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20120918091022AAGxoWH  “  

RESPOSTA: Essa foi bem forçada e serve mais uma vez pra mostrar a falta de credibilidade do Elisson Freire e seu sitezinho malacafento. Com mera intenção de ridicularizar a nós e ao CaiaFarsa, o sujeito postou como se fosse fonte nossa, um link do Yahoo contendo um texto de 2013, que na verdade foi copiado de um escrito meu, publicado pelo Oswaldo Garcia em 2009, muito antes da postagem no Yahoo. Meu escrito anterior a postagem no Yahoo se pode ver no link a seguir, com as devidas fontes da pesquisa, para a desgraça do Elisson: http://oswaldo-superhancpetram.blogspot.com.br/2009/02/resposta-3-rendas-do-vaticano-o.html  (ver 3º parágrafo, ou 3º bloco de texto).

Por essas e outras, se vê como esse sujeito coloca em descaminho os incautos que acreditam nas potocas que ele escreve.

Fim da Farsa.